Browsing All posts tagged under »Mariana Ianelli«

Em quarentena [Mariana Ianelli]

março 21, 2020

5

Temos visto de tudo nesses tempos de peste à solta. Gente sendo solidária à força. Gente doente só de se ver tolhida em suas vontades e vantagens. Também uns santos na linha de frente socorrendo os esquecidos pelas ruas. E ainda os consortes da peste, a postos para recrudescer o surto, como aquele assassino do […]

A um livro esquecido na estante [Mariana Ianelli]

março 7, 2020

1

Não se desespere, é assim mesmo. Veja que liberdade tão estranha e sem limites. Ninguém para vasculhar entre suas páginas à procura disto ou daquilo. Ninguém vindo se servir de você para dar de comer a interesses próprios e alheios. Veja que agora não é mais aquele hiato de vaga distração do leitor que guarda […]

Esconde-esconde [Mariana Ianelli]

fevereiro 22, 2020

0

Você desaparece atrás da cortina enquanto uma voz pequenina no fim do corredor conta até vinte. Era para ser uma brincadeira inofensiva, igual àquela da sua própria infância, que fazia inventar os esconderijos mais improváveis, tão bons de desaparecer que o escondido até ficava entediado, correndo o risco de cochilar em pé e acordar meio […]

É isto um homem? [Mariana Ianelli]

fevereiro 8, 2020

0

O que acontece a essa gente que no meio de uma pandemia só se preocupa com as cotações da Bolsa? Essa gente que mesmo no meio da miséria mais desmoralizante ainda pensa que seu catre é melhor que o catre alheio? Que raio de humanidade é essa que não sente, não vê, não ouve, senão […]

Elogio do banheiro [Mariana Ianelli]

janeiro 25, 2020

0

Isto seria um elogio de bandeja à escatologia corrente, não fossem tantas outras coisas que podem acontecer dentro de um banheiro. Com a luz apagada, o primeiro verso de um poema na cabeça debaixo do chuveiro. O detalhe vivo de um quadro de Bonnard. Terríveis óperas domésticas. Vinte minutos em flor de lótus sobre um […]

Das virtudes desconcertantes da infância [Mariana Ianelli]

janeiro 11, 2020

0

A criança sendo criança não sabe ser hipócrita. Mesmo as desde cedo educadas como se fossem adestráveis não têm ainda um filtro que lhes esteja tão bem acoplado que não deixe passar uma sinceridade irreparável. Sem provocação, sem intenção de magoar, ela dirá impávida e inocentemente que não gosta de você, se não gostar. Pode […]

Cheiro de Frangipani [Mariana Ianelli]

dezembro 28, 2019

0

Sem despedidas, discretamente, você se retira. Passam os dias e essa ausência vai ficando menos e menos discreta, vão chegando mensagens, algumas ainda gentis, curiosas, depois preocupadas, outras urgentes, mais que urgentes, imperativas, até eclodirem rompimentos, uns atrás de outros, às vezes tão ardentes da parte dos ofendidos que é como se há muito tempo […]