Browsing All posts tagged under »Daniel Russell Ribas«

Com a ajuda de meus amigos [Daniel Russell Ribas]

outubro 16, 2017

0

“Ribas, vou te dar uma bolsa para uma oficina de maquiagem glam rock, você topa?”, anuncia Maurício, dono do sebo Baratos. Ele se referia a um evento que aconteceria no local em duas semanas. Concordei; estávamos bêbados, afinal. O interessante foi que ele cobrou a oferta depois. E eu topei. Por que não? Se há […]

Exaustão [Daniel Russell Ribas]

outubro 2, 2017

0

A crônica desta semana deveria ser sobre um assunto importante e caro para mim: LGBTfobia. Não apenas aquela espanca casais gays, mas também a que as condena a serem vistos como “ursinhos carinhosos”. Sem uma identidade, apenas uma massa à parte da “sociedade”. Para citar Augusto dos Anjos, é uma boca que beija e escarra. […]

O som do vento [Daniel Russel Ribas]

setembro 18, 2017

2

Escuta que é breve. Um sussurro que ensurdece. E apaga. No domingo, andei por uma rua arborizada e senti o toque aquecido. Ergui meu rosto e senti uma plenitude. Plenitudes são ligeiras e se esvaem como beija-flor. Por isso, é preciso aproveitar cada oportunidade em que uma vem lhe bicar. Pode ser a bebida que […]

Estágio Pupa [Daniel Russell Ribas]

setembro 4, 2017

4

Transformação tem sido um elemento importante em tempos recentes. Impossível não ser afetado por alterações radicais em diversos aspectos: aparência, modos, localização… A diferença é que, para a maioria, isto não foi uma escolha. No lugar de uma sonhada dissolução lenta, tivemos um corte seco. Bom, aqui estamos e agora? Não há poema que dê […]

Os reis estão nus [Daniel Russell Ribas]

agosto 21, 2017

1

If you are the dealer, I’m out of the game / If you are the healer, it means I’m broken and lame – “You want it darker” – Leonard Cohen Chove em pequenos tragos essa manhã agridoce. O café quente é generoso e fornece alguma esperança. A paisagem cinzenta é tão bela quanto críptica. Eis […]

O tempo congelado [Daniel Russel Ribas]

agosto 7, 2017

4

O homem solitário, entristecido, sentado em um bar. Ele escreve por escrever. Como forma de passar um tempo que não passa. Preenche folhas em branco, com margens amareladas. Escreve em um caderno antigo, encontrado por acidente em uma gaveta. Queria ser escritor, mas nunca superou a falta do que dizer. São palavras que não têm […]

Tubarão Ex Machina [Daniel Russell Ribas]

julho 24, 2017

4

Tudo que é bom engorda, li por aí. O que é ruim também, ouvi certa vez. Acho que podemos concordar que nada é absoluto. Somente uma questão de gosto. Descobri isso após uma indicação desastrada aos 13 anos. Bom, cabe um desvio para a alameda da memória aqui: sempre fui cinéfilo. Cresci vendo filmes, o […]