Browsing All posts tagged under »Raul Drewnick«

Deus, Adão e Eva [Raul Drewnick]

outubro 6, 2019

3

No primeiro minuto da primeira palestra das seis que prometera dar, Deus, quando começou a falar do plano geral do ciclo, foi interrompido por um estudante de olhos viciosos: “Não é melhor o Senhor ir direto para Adão e Eva?” *** No fim da palestra, curvando-se  para agradecer os aplausos, Deus mostrou conhecer melhor do […]

A loira do Diabo [Raul Drewnick]

setembro 22, 2019

2

É uma dessas loiras irresistíveis que o Diabo mantém para emergências como, por exemplo, a de um escritor autoconfiante relutar em ceder a alma em troca apenas do Nobel. *** Andam lhe recomendando que deixe de pensar em literatura e se dedique a alguma tarefa que o alvoroce menos. E vou me iniciar em quê, […]

Jogando tudo para o alto [Raul Drewnick]

setembro 8, 2019

2

Desde que o motivo alegado fosse o amor, deveria ser permitido morrer mais de uma vez. *** Se eu fosse um pouco pior do que sou, um tantinho mais insignificante, poderia requerer que meu nome estivesse num desses livros de recordes. *** Sou como 98% dos escritores: acho que poderia ser Shakespeare; os outros 2% […]

Frases no saldão [Raul Drewnick]

agosto 25, 2019

5

Mulher opulenta: os homens de sua vida são mais de cinquenta.  *** Que desagradáveis são os fantasmas que, não se habituando ao fuso horário, vêm nos assombrar ao meio-dia, em vez da meia-noite, e chegam tropeçando em tudo, bêbados de saquê. *** Devemos servir à poesia com fervor, como se tivéssemos algo a lhe dar […]

Pijamas largos e moralismos [Raul Drewnick]

agosto 11, 2019

4

Amor é bom e gostoso, com romance ou sem romance: honny soit qui mal y pense. *** Se Machado de Assis estivesse vivo, seria convocado por uma CPI para esclarecer se Capitu, afinal, traiu Escobar ou não. *** O cachimbo do Saci foi apreendido pelos acusadores de Monteiro Lobato, além de cinquenta gramas de pó […]

Uma porção de nadas [Raul Drewnick]

julho 28, 2019

2

Embora hoje possa não parecer, nasci para escrever. *** Na vida de um escritor, não há como escapar. Só há dois modos de ser: ou viver para contar, ou contar para viver. *** Honro minha espécie, sou dócil por inteiro. Que não possa  quem me matar chamar-me de mau cordeiro. *** Aos oitenta, para o […]

Ah, Estocolmo [Raul Drewnick]

julho 14, 2019

3

Estocolmo seria o nome ideal para aquele tipo de mulher que, única na perturbadora opulência de sua carne, não faz senão negá-la a vida inteira. *** Escrever todo dia pode te fazer bem, mas fará à poesia? *** A vida foi sempre uma ilusão, é certo, mas nunca como no tempo dos musicais da Metro. […]