Browsing All posts tagged under »Raul Drewnick«

De internet, Kariêninas e Bovarys [Raul Drewnick]

agosto 13, 2017

7

Pelo que vejo na internet, os maridos não servem para nada mais importante do que discutir a relação. *** Basta que a literatura dê um cochilo e lá vai a vida furtar-lhe uma história. Tantas Kariêninas e Bovarys que seriam perfeitas se não lhes faltasse um toque de Tolstói ou Flaubert… *** Numa pasta de […]

Tristezas e alguma inadvertida alegria [Raul Drewnick]

julho 30, 2017

9

Não sou um desses tristes oportunistas, de ocasião. Sou triste por convicção. *** Segui o conselho de Sócrates. Hoje me conheço melhor que ontem. Ontem eu era mais feliz. *** Teu nome não precisas me dizer, conheço tantos nomes de rainha. Deixa que o teu seja uma escolha minha e pune-me se errado eu escolher. […]

Uma mixórdia e tanto [Raul Drewnick]

julho 16, 2017

8

À meia-noite, a prosa poética e a poesia prosaica se esmeram na maquilagem, acolchoam os peitos flácidos e vão seduzir jovens tolos nos bares. *** A poesia dava status aos que a faziam, no tempo em que a faziam. *** Penso às vezes como é estranho alguém dizer que vive para escrever ou para dedicar-se […]

Palavras, frases, não muito mais [Raul Drewnick]

julho 2, 2017

5

Nunca citar o nome de Millôr em vão. *** O haicai é uma forma aprimorada de silêncio. *** Os maus exemplos não deixam de ser exemplares. *** Amor hoje é uma atividade voltada quase exclusivamente para fins recreativos. *** A razão, se não lhe impusermos limites, é bem capaz de negar a existência de um […]

Definições e indefinições [Raul Drewnick]

junho 18, 2017

4

Poeta é aquele sujeito que, embora ninguém lhe pergunte, vai dando opinião sobre flores e passarinhos. *** Quem, em vez de uma, lança diariamente dez garrafas com mensagens ao mar, tem menos ou mais esperança?  *** Todo pássaro tem alguma vocação para haicai. *** Na cama, podem parecer pecaminosos até fervorosos triságios como amor, amor, […]

Frases curtas, ideias simples [Raul Drewnick]

maio 21, 2017

7

Uma borboleta é uma presa tão fácil para os maus poetas.  Nós deveríamos envergonhar-nos. *** Não era um poeta cabeça de vento como os outros. Tinha emprego na bolsa e terras no Parnaso. *** O que a vida merece mesmo de nós é ou o sarcasmo ou a chacota. E, no entanto, nós lhe oferecemos […]

O mártir no primeiro e a morte no item final [Raul Drewnick]

maio 7, 2017

8

Não deve ter se explicado bem, porque meses depois de haver desertado da poesia, ainda os pássaros vêm chamá-lo de manhã. Pelo menos foi o que ele disse hoje aos amigos, com cara de mártir. *** Fazer hoje um soneto (bom ou mau) é fazer todos. Custa-me acreditar nisso, justamente eu, que outrora escrevi tantos […]