Browsing All posts tagged under »Cyro de Mattos«

O doce [Cyro de Mattos]

junho 6, 2019

0

Coloquei um doce bom Na boquinha de meu bem Quando a mulher ama Que doçura o homem tem. Filhos, netos, parentes, de bom gosto alardeavam o feito incrível alcançado pelo patriarca. Caso raro no planeta.  Alcançara a marca de 102 anos de idade. A comemoração festiva, os familiares, a cada ano do aniversário.  Ele nem […]

Mãe [Cyro de Mattos]

maio 23, 2019

0

A mãe era afeto, dedicação, bons conselhos. Apressada dizia: “Menino, já para dentro, que vem o vento ventoso levado, levando cisco! Menino, já para dentro!” Alertava: “ Boa romaria faz quem em sua casa está em paz.” Gostava de fazer adivinhas. Sobre o sol: “O que é, o que é, o ano todo no deserto […]

Louvor da Virgem Maria [Cyro de Mattos]

maio 9, 2019

0

A imagem da Virgem Maria era guardada no nicho de cedro. Permanecia no altar, embaixo de Jesus crucificado pendurado na parede. A mãe forrava o pequeno altar com um pano de linho branco. Havia no oratório  jarros com flores, velas nos castiçais, eram acesas quando a mãe ia fazer suas orações. A mãe organizava a  […]

Queima do Judas [Cyro de Mattos]

abril 25, 2019

0

O sábado era o dia em que mais gostava na Semana Santa. Amanhecia alegre porque Jesus Cristo ressuscitava nesse dia. Já podia cantar marchinhas no banheiro lá em casa quando fosse escovar os dentes e tomar banho. Já podia  beber leite no café da manhã e comer carne de gado, porco, carneiro ou galinha na […]

O triunfo do amor [Cyro de Mattos]

março 28, 2019

2

O moço morava no outro lado do rio. Lá havia uma olaria. Trabalhava ali, fazia moringa, panela,  bonecos e santos. Mãos caprichosas, artesão afamado. A moça morava no lado de cá, margem esquerda do rio, onde havia a pequena cidade com o seu comércio próspero. Fazia  toalha, tapete, rede. As mãos delicadas, tecelã admirada. Em […]

Sua única briga [Cyro de Mattos]

março 14, 2019

0

Só brigou uma vez no internato. Foi com um menino que jogava de ponta-esquerda no time de camisa branca. Jogando como lateral direito no time de camisa azul, ele dava uma marcação implacável àquele menino gago, troncudo, baixo, braços musculosos. Em compensação era menor do que ele, que sempre se antecipava para tomar a bola […]

O apostador [Cyro de Mattos]

fevereiro 28, 2019

0

Começou jogando no bicho. Mudou para a loteria federal. Meses depois migrou para a loteria esportiva. Agora estava de olho gordo na  mega-sena. Só valia ganhar se fosse o único ganhador, entre milhares de apostadores. Mega-sena acumulada, ao felizardo marés de milhões. Ele, o apostador incorrigível. A mulher tentou livrá-lo do vício. Brincadeira no início, […]