Browsing All posts tagged under »Raul Drewnick«

Gêneros etc. [Raul Drewnick]

junho 16, 2019

4

A questão de gêneros é a que hoje mais causa espécie. *** No meio do século passado, um industrial, Giancarlo Primore, fez fortuna ao montar no Brás uma fábrica que produzia um líquido para lustrar poemas concretistas. *** Ele canta como os passarinhos. É a opinião dele, não a dos vizinhos. *** O poeta deve […]

Algumas reflexões, nada mais [Raul Drewnick]

junho 2, 2019

6

Vi uma vez um defunto tão corado e sadio que estive a ponto de lhe conceder o benefício da dúvida. *** Manoel de Barros e Mario Quintana eram dois passarinhos que se disfarçavam de poetas. *** Escrever é como garimpar: provavelmente nada, afortunadamente ouro. *** Só os gramáticos sabem se é melhor morrer ao meio-dia […]

Estocolmo e outros pesadelos [Raul Drewnick]

maio 19, 2019

2

Escreve duas páginas e já fica ofegante. Pergunta aqui, pergunta ali, mas Estocolmo é sempre mais adiante. *** Cada noite é maior a dificuldade para distinguir um fantasma falso de um fantasma de verdade. *** Aos dezoito anos eu já era mais tolo do que jamais seria. Só que ainda não sabia. *** Depois de […]

Estratagema e outros ardis [Raul Drewnick]

maio 5, 2019

4

Uma flor faz mais sentido quando interrogada pelo vento. *** As maneiras de enaltecer o amor são tantas quanto os modos de maldizê-lo. *** Estratagema é o tipo de recurso que usaríamos numa conquista amorosa, se não soasse tão pernóstico. *** De um galho da ameixeira, meninos eu vi, brotar um bem-te-vi. *** A melhor […]

Frases sem compromisso [Raul Drewnick]

abril 21, 2019

5

Já que vão mesmo rir de você, apresente-se como humorista. *** Se for persistente, o escritor jovem pode aspirar, no mínimo, a tornar-se um velho escritor. *** No velório, um comentário sobre o defunto: ”Quase não reconheci o Túlio. Como os três meses de spa fizeram bem a ele.” *** Quem me dera ter algum […]

Algumas frases. Para que mais? [Raul Drewnick]

abril 7, 2019

4

No reino da poesia, quem nasce pardal não chega a cotovia.                                                                *** Quando soube que Camões escreveu sonetos, o rapaz balançou a cabeça: ninguém […]

Homens, poetas, chatos [Raul Drewnick]

março 24, 2019

4

Digo, com a autoridade de quem melhor me conhece: apodreci como homem e não amadureci como poeta. *** Se não tivesse me metido com a literatura, que trauma de infância eu poderia invocar? *** Que o empenho em ser escritor não lhe tire o prazer de aproveitar o melhor papel que a literatura oferece: o […]