Search Results for »cássio zanatta«

Cássio Zanatta é um dos vencedores do Prêmio Nina Horta

janeiro 19, 2020

0

Cássio Zanatta, cronista da RUBEM, foi um dos três escritores vencedores do Prêmio Nina Horta de Crônica Gastronômica. A divulgação aconteceu neste domingo (19/01), data que seria o aniversário da escritora que dá nome à premiação e que fazia, justamente, crônicas sobre gastronomia. Nina Horta morreu em outubro de 2019. A partir do mote da […]

Porcaria de crônica [Cássio Zanatta]

janeiro 14, 2020

5

Hoje vou porque vou escrever uma porcaria de crônica. Daquelas que, se eu tivesse o mínimo de vergonha na cara, nunca mais sairia de casa. De levar vaia, tomatada e esculacho em público. Não que seja novidade: já escrevi (pior: publiquei) algumas porcarias, um pouco carregadas nas melosidades ou com pretensões de me levarem a […]

1° de janeiro [Cássio Zanatta]

dezembro 31, 2019

0

Acordou com o sol entrando pela janela (que esquecera de fechar) e a cabeça pesada. Tateou a ressaca, não estava tão feia assim para a beleza de desempenho na festa. Sabia que ia ser desse jeito, todo Reveillon é essa coisa. Bebeu, dançou, deu muita risada, bebeu, abraçou, beijou, bebeu, foi abraçado e beijado, bebeu. […]

Ao contrário [Cássio Zanatta]

dezembro 17, 2019

4

Sou um sujeito esquisito. Não é de hoje, venho reparando nisso há pelo menos 50 anos. Por exemplo: desenvolvi uma inédita capacidade de amar ao contrário. Acho ódio um troço feio, vulgar. Assim, prefiro amar do jeito inverso. Amo ao contrário os fios emaranhados nos postes. A torturante demora do enfermeiro em preparar a injeção. […]

Nuvens [Cássio Zanatta]

dezembro 3, 2019

0

Aquela galinha branca e gorda finge estar parada, mas avança vagarosa, decidida a bicar o bode do outro lado do céu. Segue disfarçando, passa detrás daquele floco redondo, mas vai tão lenta que, quando chega perto, o bode já está mais para um abacaxi de coroa quebrada. E bicar abacaxi é o tipo do programa […]

Lancaster [Cássio Zanatta]

novembro 19, 2019

2

Lancaster era o nome de um perfume muito vendido ali pelos anos 70. Havia a linha original, argentina, de qualidade superior, mas desse eu nada sei. Conheço a versão brazuca, popular e de preço acessível, encontrada em farmácias e até em supermercados, o que não era (ainda não é) exatamente um aval de qualidade. Sumiu […]

Eu não queria perder sua amizade por aquilo [Cássio Zanatta]

novembro 5, 2019

1

Estava este escriba no metrô, esperando o trem na plataforma quase vazia. A alguns metros de mim, dois jovens conversavam. Sou um pouco futriqueiro, admito, mas foi por acaso e pelo pouco barulho em volta que ouvi a moça dizer ao rapaz: “Eu não queria perder sua amizade por aquilo”. Fingi não ouvir, olhei para […]

O céu das amadas [Cássio Zanatta]

outubro 22, 2019

1

A partir de “Existe um céu”, de Francis Hime Conta a canção que “existe um céu onde moram as amadas que o coração desinventou”. As minhas deixaram cada uma um pedacinho cá dentro e para lá foram – umas feito sopro, outras, tufão. Nesse céu de nuvens brancas se equilibram, que o amor vive é […]

O jasmin e o lixo [Cássio Zanatta]

outubro 8, 2019

1

Chego à estação Fradique Coutinho do metrô. Do lado de fora da estação, vejo que fizeram um pequeno jardim, com uma fileira de pés de jasmim, que agora estão floridos. No espaço modesto, cercado pelo cimento, é um apertado e urgente momento de beleza. Sim, este será o assunto da crônica. Quem o acha de […]

Minha camisa ridícula [Cássio Zanatta]

setembro 24, 2019

5

Comprei uma camisa ridícula. Estava superbaratinha, parcelada em 10 vezes, comprei. Ela tem um tecido leve, bom de usar, e uma gola desconjuntada, ruim de usar. É amarela, há quem diga laranja, botões azuis, uns coqueiros de folhas verdes espalhados e muitos sóis vermelhos. Imagino que o sujeito tenha decidido pelo sol vermelho para que […]