VIALAC, 1ª zona – Algoritmo 2084. PL Terra, Bra$élfie. [Tiago Maria]

Posted on 30/04/2020

6



– Mas sem talkpatia como é que vocês faziam pra conversar?

– O vovô já te disse, Covidson, nós falávamos. E cada um usava a própria voz.

– E como é que a voz saia do EMU?

– Naquela época ainda não existiam capacetes respiratórios, Côvi, usávamos máscaras de tecido. E podíamos nos tocar sem imersão em silicone, acredita?

– Faíísscca! Que perigo, vovô! E ninguém se infectava?

– É, tínhamos muito mais contágios que agora. Mas era uma delícia. O cheiro das pessoas, aperto de mãos, abraços, beijo sem gosto de regulador de saliva, a sensação de pele na pele…

– Que Phyilococcus, vovô! Vocês encostavam a boca nas outras pessoas? Sem regulador de saliva?

– Ahh, Côvi, tu não vais processar, daria squiz microns por um beijo de língua! Cafuné. Uma felação…

– Fela… o quê?

– Exclui, foi um bug, vovô tá meio desatualista. Pega lá pra mim uma pastilha de proteína animal. Pode ser de sabor panda, mesmo. E o controle de saturação plásmica, por favor.

– Então quer dizer que também era permitido oxigenar perto das pessoas?

– Sim! Podíamos oxigenar bem pertinho uns dos outros, nos tocarmos sem silicone, falar com a própria voz, dançar de perfil colado, casais – os duples de hoje -, por exemplo, dormiam na mesma cabine, que chamávamos cama, sem cápsula individual de sono nem nada. Era uma das melhores coisas…

– Duples dormiam juntos na mesma cabine, é, quer dizer, cama? E os Equipamentos de Proteção Individual não atrapalhavam?

– Não tínhamos ainda os EPIs de inatividade noturna, Côvi. Usávamos para dormir uma suprapele que chamávamos pijama. Eram confortáveis, mas não evitavam doenças, nem filhos. Para isso tínhamos a “camisinha”, que também não era lá muito confiável…

– Mas então o senhor e a vovó faziam aquela coisa que o Influenzo me mostrou naqueles papeis velhos, é livris o nome, né? Uns desenhos de pessoas só de infrapele, oxigenando umas em cima das outras, era céx o nome, né?

 – Já te falei que não é plus esse Influenzo. Aquilo era sexo. São li – vros! E não é pra mexer. Agora vem, meu radar avisou que a tua avó está chegando. Vê se não vai enviar que estávamos conversando de novo sobre o desatualismo. Tu sabes que ela não gosta, salvô?

– salvei, salvei… Fica silício, vovô.

– Vovó, o que é felação?

_________

E com vocês, por mais incrível que pareça, Tiago Maria, brasileiro, cansado, 38 anos, cardioinsistente. Profissão: esperança.

Idealizador da Oficina Litehilária Crônicas de Graça. Participou das antologias Santa Sede Crônicas de Botequim safra 2013, Cobras na Cabeça crônicas (ir)reverentes e Maria Volta ao Bar. Premiado na maratona de escrita criativa, promovida pelo Instituto Estadual do Livro (IEL), durante a 62ª feira do livro de Porto Alegre. Publica toda terça no blog tiagomaria.wordpress. Na RUBEM, escreve quinzenalmente às quintas-feiras

Marcado:
Posted in: Uncategorized