Esconde-esconde [Mariana Ianelli]

Posted on 22/02/2020

0



Você desaparece atrás da cortina enquanto uma voz pequenina no fim do corredor conta até vinte. Era para ser uma brincadeira inofensiva, igual àquela da sua própria infância, que fazia inventar os esconderijos mais improváveis, tão bons de desaparecer que o escondido até ficava entediado, correndo o risco de cochilar em pé e acordar meio confuso num armário entre duas vassouras. Era para ser só isso mesmo, mais uma brincadeira, mas sabe lá por qual desvio de emoção, ali, no meio do linho empoeirado, você sem se mexer, sem dizer nada, a coisa começa a parecer um pouco apavorante. Você sente como um arrepio de estar sendo caçado, como se todo o seu corpo se lembrasse e fosse obrigado a usar seu dom de bicho, como um gambá, um rato, um gato selvagem, todos inencontráveis quando querem, você sabe, claro que sabe que o jogo era para ser exatamente esse, a diversão era para ser essa também, fingir um oco de casa desabitada, sem emoção aparente, nenhum barulho, nada, mas a voz pequenina se aproxima e vai ficando tarde, só o que você quer é se entregar de uma vez, quebrar essa questão de vida ou morte com uma boa gargalhada. Chega disso, menina, vem cá… Ela vem e não sente o que você sente, está animada com um esconderijo que nunca lhe tinha ocorrido antes. Quer desaparecer atrás da cortina também. Desaparecer e ser achada com o susto de um abraço. Para você ver a nossa imaginação como vai longe. Para você ver o quanto de nós se esconde no pavor de um pequeno rato.

_________

Mariana Ianelli é escritora, mestre em Literatura e Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, autora dos livros de poesia Trajetória de antes (1999), Duas chagas (2001), Passagens (2003), Fazer silêncio (2005 – finalista dos prêmios Jabuti e Bravo! Prime de Cultura 2006), Almádena (2007 – finalista do prêmio Jabuti 2008), Treva alvorada(2010) e O amor e depois (2012 – finalista do prêmio Jabuti 2013), todos pela editora Iluminuras. Como ensaísta, é autora de Alberto Pucheu por Mariana Ianelli,  da coleção Ciranda da Poesia (ed. UERJ, 2013). Estreou na prosa com o livro de crônicas Breves anotações sobre um tigre (ed. ardotempo, 2013). Depois, escreveu Entre imagens para guardar (ed. ardotempo, 2017), também de crônicas. Na RUBEM, escreve quinzenalmente aos sábados.

Posted in: Crônicas