Aforistas graças a Deus II [Rubem Penz]

Posted on 03/01/2020

2



  •          Cataclimax: uma tragédia entre quatro paredes
  •          O efeito cascata raramente se aplica ao cair em si
  •          Das falibilidades: se não tem cura nem jeito, deixe por feito
  •          Quem acredita, crê; quem duvida, cria
  •          Repetência: foi pego domingo pela segunda-feira
  •          Numa vida simples, sequer os arrependimentos serão grandes
  •          Papo firme: falhei e disse lhe
  •          Fracasso é o sucesso que desanda, e vice-versa
  •          Granito: hei de para sempre a mármore
  •          Tristeza no gerúndio já é de estimação
  •          A arte não serve: impõe-se
  •          Ressuscita-me, pois costumo morrer à toa
  •          Sorrindo, saberei se viras ou virás
  •         Todo santo dia empurrava seus pecados para a noite
  •          Quando o céu é o limite, todo cuidado com a digitação é pouco
  •          A quem nada oferece, cobra-se o quê?
  •          A vírgula é um ponto semifinal

__________

Rubem Penz, nascido em Porto Alegre, é escritor e músico. Cronista desde 2003. Entre suas publicações estão “O Y da questão” (Literalis), “Enquanto Tempo” (BesouroBox) e “Greve de Sexo” (Buqui). Sua oficina literária, a Santa Sede – crônicas de botequim, dez antologias, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Literatura 2016 na categoria Destaque Literário. Na RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Marcado:
Posted in: Crônicas