A minha guria [Tiago Maria]

Posted on 28/11/2019

2



Quando, sua moça, nasceu minha florzinha
Não era ideia minha ela rebentar
Já foi nascendo com cara de brava
E eu não tinha palavra pra lhe dar

Como fui amando, não sei lhe explicar
Fui assim amando ela a me amar
E na sua feminice
Ela um dia me disse: não vou me calar
Quem diria, quem diria

Quem diria, ai a minha guria, quem diria
Quem diria, é a minha guria

E ela chega

Chega suada e veloz da viagem
Tem sempre uma imagem no celular
Tanta tatuagem riscada, sua moça,
Que haja quem possa pintar

Me trouxe uma bolsa já com livro dentro
Lápis e caneta, folha e um haicai
Um verso e uma penca de minicontos
Pra finalmente eu me sofisticar, quem diria

Quem diria, ai a minha guria, quem diria
Quem diria, é a minha guria

E ela chega

Chega no baile jogando o cabelo
Pulseira, área vip, energético, um copo com gelo
Rezo eu mesmo até ela chegar, pelamor!
Essa onda de machismo tá um horror

Eu consolo ela, e ela me consola
Boto ela no colo ela a me nimar
De repente acordo, é madrugada
E a danada já foi trabalhar, quem diria

Quem diria, ai a minha guria, quem diria (ah, quem diria minha guria)
Quem diria, é a minha guria (quem diria minha guria)

E ela chega

Chega estampada, no site, de salto
Com rímel nos olhos, batons atuais
Eu não entendo essa gente, sua moça
Esses likes demais

A guria na foto, acho que tá rindo
Acho que tá linda de se admirar
Desde o começo, eu não disse, sua moça
Ela disse não ia calar

Quem diria, quem diria
Quem diria, ai a minha guria, quem diria (quem diria minha guria)
Quem diria, é a minha guria (quem diria minha guria)
Quem diria, ai a minha guria, quem diria (quem diria minha guria)
Quem diria, é a minha guria (quem diria minha guria)
Quem diria, ai a minha guria quem diria (quem diria minha guria)
Quem diria, é a minha guria (quem diria minha guria)

_________

E com vocês, por mais incrível que pareça, Tiago Maria, brasileiro, cansado, 38 anos, cardioinsistente. Profissão: esperança.

Idealizador da Oficina Litehilária Crônicas de Graça. Participou das antologias Santa Sede Crônicas de Botequim safra 2013, Cobras na Cabeça crônicas (ir)reverentes e Maria Volta ao Bar. Premiado na maratona de escrita criativa, promovida pelo Instituto Estadual do Livro (IEL), durante a 62ª feira do livro de Porto Alegre. Publica toda terça no blog tiagomaria.wordpress. Na RUBEM, escreve quinzenalmente às quintas-feiras.

Marcado:
Posted in: Crônicas