Coração [Marco Antonio]

Posted on 20/11/2019

2



Um dia medirão o coração. Vão querer saber como pulsa o coração. Na ciência da entrelinha, se me entendem.

Ora se vão medir, estou certo de que irão tratá-lo bem, e cuidar dele com amor e carinho. Coração da gente passa por tanta coisa, desde que nascemos, não é brincadeira, o coração nas paixões, no peito e na pele, pelo corpo inteiro. Haverá críticas, posso apostar. Por que esse descompensado tão depressa? Que inconveniência, está fora de ritmo.

É cada frase com coração. Romance, muito amor. Mágoa, ternura, poesia e criação. Existe quem acuse: esse não tem coração! É sentença pior que vaticinar: esse não tem alma.

Um perigo: se o coração vira pau-mandado, um coração-mandado, e peço perdão pela expressão, que quase me arrependo, mas continuo, se ele se transforma em um coração empedernido, talvez ressentido, a fazer só o que lhe interessa ou mandam, como confiar em seus sentimentos? Foi confiar em coração, ah que leso!

Coração não está na cavidade torácica somente para auscultar, para eletrocardiogramas, testes do esforço ou manobras de salva-vidas. Vamos juntar as duas mãozinhas e mostrá-lo pra galera. Coração é um pra cada e o bom é para todos. Vai que um dia inventam uma escala de 1 a 10 e dão nota, levam para as Olimpíadas, olha a treta.

Existe coração forte, fraco, tímido, hipócrita.

E dois corações juntos? Na eternidade, que lindos.

Pra encerrar, escuta: tiveram que decidir o feriado. Viajar pra onde? Passagem do nosso jeito só pra daqui a cem metros. Sem estresse, a gente nasceu pra ser feliz.

Coração é quem manda.

__________

Marco Antonio é carioca, escritor e cronista. Publicou os contos de “Capoeira angola mandou chamar”, a novela “Cara preta no mato” em ebook, e participou das coletâneas de contos “Clube da Leitura – volume III”, “Escritor Profissional – volume 1” e “Clube da Leitura – volume 4”. Escreve crônicas para a RUBEM desde 2014. Em 2018 lançou “O gato na árvore”, pela Editora Moinhos. Suas crônicas saem quinzenalmente às quartas-feiras. 

Marcado:
Posted in: Crônicas