Hino à Peruca* [Rubem Penz]

Posted on 12/04/2019

6



Salve lindo franjão, salve as tranças

Salve símbolo do que não há mais

Tua farta presença é a lembrança

Da tristeza que a calva nos traz

Percebe o alívio que disfarça

Nosso rosto já senil

Querido é o símbolo da farta

Cabeleira destes tantos fios

Lá no peito as melenas alcançam

Toque ao céu o topete produz

Repartindo no meio avanças

Nesta aura de deus andaluz

Percebe o alívio que disfarça

Nosso rosto já senil

Querido é o símbolo da farta

Cabeleira destes tantos fios

Completando o pouco habitado

Compreendemos o tanto a dever

Se partiu a calvície ao passado

Poderoso o futuro há de ser!

Percebe o alívio que disfarça

Nosso rosto já senil

Querido é o símbolo da farta

Cabeleira destes tantos fios

Sobre imensa fração da cabeça

Em momentos a nos recompor

Paira sempre sagrada peruca

Salvação deste homem sênior

Percebe o alívio que disfarça

Nosso rosto já senil

Querido é o símbolo da farta

Cabeleira destes tantos fios

*Paródia descabelada do Hino à Bandeira, de Olavo Bilac e Francisco Braga

__________

Rubem Penz, nascido em Porto Alegre, é escritor e músico. Cronista desde 2003, atualmente está nas páginas do jornal Metro. Entre suas publicações estão “O Y da questão” (Literalis), “Enquanto Tempo” (BesouroBox) e “Greve de Sexo” (Buqui). Sua oficina literária, a Santa Sede – crônicas de botequim, dez antologias, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Literatura 2016 na categoria Destaque Literário. Na RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Anúncios
Marcado:
Posted in: Crônicas