Cruzadinhas [Rubem Penz]

Posted on 01/02/2019

4



– Aquele que vem primeiro e, por isso, goza de certos privilégios… Onze letras, começa com “p”.

– Parlamentar.

– Não dá. A terceira letra é “i”.

– Hum… Experimenta primogênito.

– Deu! (…) Aquilo que se espera verdadeiro, justo e honesto. Dez letras, termina com “o”.

– Liquidação.

– Hahahaha! Gostei! Mas tem “a” na quinta casa.

– Justo e honesto? Tá forçado, mas vou chutar: julgamento.

– Olha só, parece que acertou. Você é boa!

– Eu sei que sou boa.

– Feito para sentar; muito apreciado em lugares públicos… Cinco letras, começa com “b” e a terceira letra é “n”.

– Bunda.

– Ok. (…) E essa: toque íntimo; prazer solitário. Onze letras, começa com “m”.

– Fácil: masturbação. Ó, com “ç”, não esquece.

– … turbaçã… Não combina.

– O que não combina?

– A masturbação. Masturbação não combina com a tua bunda.

– Impossível. Minha bunda sempre combinará com masturbação. Tem uma coisa errada nesse teu negócio.

– Ih, não se estressa. Isso aqui é só palavras cruzadas, não é concurso de Garota Playboy.

– Como assim? Ah, tá. Meu corpo por acaso vale menos fantasias do que o daquelas fotoshopadas das revistas? É isso, Carlos Alberto?

– Jamais! Eu só disse que…

– Sai pra lá! Não ajudo mais. Acaba aí sozinho e não me incomoda.

– Benzinho…

– Pssst! Não fala nada, já sei… Era banco. Tá perdoado.

__________

Rubem Penz, nascido em Porto Alegre, é escritor e músico. Cronista desde 2003, atualmente está nas páginas do jornal Metro. Entre suas publicações estão “O Y da questão” (Literalis), “Enquanto Tempo” (BesouroBox) e “Greve de Sexo” (Buqui). Sua oficina literária, a Santa Sede – crônicas de botequim, dez antologias, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Literatura 2016 na categoria Destaque Literário. Na RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Anúncios
Posted in: Crônicas