Regras de futebol [Elyandria Silva]

Posted on 10/07/2018

0



Verdade seja dita, no caso de Cristiano, o cabelo é o ponto alto da “panca” do jogador. Que cabelo mais organizado, que penteado certinho, que fios obedientes. Ele corre, chuta, cai, sua e o cabelo sempre intacto, perfeito no desenho. Qualquer mulher, ou homem, ou a mistura dos dois, sabe que essa é uma façanha difícil de conseguir haja vista que por mais que se capriche no cuidado com os cabelos é só andar poucos passos para estar toda descabelada (o).

Regras de futebol sempre me pareceram algo tão confuso quanto entender os elementos periódicos da tabela de Química, ou as contas, que ocupavam três ou quatro páginas do caderno, de Matemática Financeira. Ambos foram grandes desafios na minha vida de estudante e para me conformar com a falta de aptidão natural para tais conteúdos me perguntava “Onde usarei tudo isso na minha vida”? “Que importância isso vai ter daqui a vinte anos”?. Até agora as respostas vão de encontro com aquilo que sempre pensei. O raciocínio para o futebol era o mesmo. Fazia greve de desentendimento explícito para todos os campeonatos e adorava quando terminavam. Finalmente, pensava. Até que um dia descobri que eles nunca terminam. Os campeonatos são eternos. Quando acaba um o outro já começa, e assim vai. Não há como uma mulher lutar contra os campeonatos, nem disputar a atenção com eles quando o time preferido dos maridos está concorrendo. É uma grande ilusão!

Em época de Copa do Mundo cada lugar que se vai as pessoas só falam em jogo, em gol, em times, em quem é o melhor, em jogadas fantásticas, em dribles merecedores de atenção, etc, etc. Para não ficar sem assunto nem com “cara” de paisagem em conversas, principalmente as mais técnicas, e para entender do que estavam falando, até algumas mulheres, decidi dedicar um pouco do meu tempo para também entender.

Tiro de meta. É quando a bola sai ou é chutada para fora do campo pela linha de fundo do time adversário, por exemplo, um dos times está atacando a bola e esta é chutada por cima do gol, sem que o goleiro a toque, então, é tiro de meta para o adversário. Confirma cavalheiros?

Impedimento. É mais complicado. Confuso para uma mulher que acaba de se interessar por jogos de futebol para entrar no clima da Copa do Mundo. Uma humilde tentativa de explicar: um atacante está posicionado em seu campo de ataque, recebe um passe de bola de outro jogador de seu time. Quando recebe esse passe, e está em direção ao gol, paralelamente a ele, não tem nenhum jogador do outro time, exceto o goleiro, ele está impedido. Deve ser marcado impedimento. É um impedimento.?! Não sei exatamente, viram como é confuso? Como saber se isso realmente acontece? Mesmo com tira teima deixa dúvidas. Uma explicação apenas não foi suficiente, precisarei de outra.

Não tive outra saída senão aderir e tentar compreender. Não quero me isolar do mundo. O pior é que estou gostando, as tardes de domingo nunca mais serão as mesmas.

________

Elyandria Silva é escritora, autora de “Labirinto de Nomes” (Moleskine, 2012), “Fadas de pedra” (Design Editora, 2009, Contos) e de “Um lugar, versos e retalhos” (Design Editora, 2010, poesia). Escreve para o Correio do Povo e tem textos publicados nas coletâneas “Contos jaraguaenses” (Design Editora, 2007), “Jaraguá em crônicas” (Design Editora, 2007), “Palavra em cena” (Design Editora, 2010, Dramaturgia), “Preliminares” (Sesc, 2009, Contos e Poesia) e “Mundo infinito” (Design Editora, 2010, Contos). Na RUBEM, escreve quinzenalmente às terças-feiras.

Anúncios
Posted in: Crônicas