Notas falsas 2 – Sexo [Rubem Penz]

Posted on 22/06/2018

6



Fake News ou Fuck News? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Mas, quando as coisas se aproximam muito da cintura pélvica, acontece um certo constrangimento, um estranho rubor, um calor súbito. E as coisas se misturam tanto, a ponto de o Dr. Freud ter afirmado (se isso não é outra nota falsa) que um charuto às vezes é só um charuto. Na dúvida, vale olhar para essas coisas com atenção:

Monte de Vênus – acidente geográfico bem próximo de duas zonas, a do agrião e a outra (conhecida apenas por zona, mesmo). Para leste e o oeste estão as duas Virilhas (Virilha do Leste e Virilha do Oeste). Ao Norte descortina-se a Planície Abdominal. E ainda há o Sul. Ah, o Sul!

Glande – unidade de medida superlativa; pessoa adulta quando comparada com crianças; epíteto de Pedro I da Rússia; jogador(a) de basquete ou vôlei; tratamento afetivo para um amigo que admiramos. Fonte: Cebolinha.

Swing – modalidade de nado livre (bem livre, aliás) praticado por equipes mistas que podem variar de oito a oitenta atletas (por assim dizer), dependendo do tamanho da piscina. Vale de frente, de costas, peito, muita pernada, braçada… uma loucura. Há uma crença no incremento de performance com depilação.

Volúpia – tábua esculpida com sulcos formando diversos caminhos e sobre a qual se atira o pião girando. Diz-se mestre nos jogos de pião aquele que permanece singrando por sobre a volúpia cumprindo todo o seu percurso.

Grandes Lábios – anéis de asteroides orbitando ao redor de Vulva, uma estrela maior próxima da galáxia Olho Negro, tudo na constelação conhecida como Cabeleira de Berenice. Há também os Pequenos Lábios, vistos de perto por nossos telescópios.

Priapismo – regime político ditatorial e severo no qual os recursos permanecem concentrados na zona de comando – em posição de sentido – por longo período. Governo tido como muito, muito duro e, para suas vítimas, é um paralamentarismo.

Rêgo – divindade pagã adorada por muitos e negligenciada por alguns (estes os quais, em sacrifício, são condenados a pagar a penitência chamada em linguagem chula de cofrinho). Protetor dos desvalidos, é bastante citado quando numa condição desfavorável: “por favor, dê a Rêgo”.

Prepúcio – pessoa ou comitiva que antecede alguém que esteja acima na hierarquia. Quando chega o momento de o “cabeça” assumir o comando, se recolhe para atrás, dando a ele a prioridade. Prepúcios, em algumas culturas, são considerados dispensáveis e, enfim, sumariamente cortados.

Fetiche – comida típica em muitas regiões cuja receita apresenta variações de tempero, às vezes mais, às vezes menos apimentados. Único alimento cuja intensidade é inversamente proporcional ao apetite: muito apetite até dispensa o Fetiche. Nas queixas de pouca fome, muito Fetiche resolve.

__________

Rubem Penz, nascido em Porto Alegre, é escritor e músico. Cronista desde 2003, atualmente está nas páginas do jornal Metro. Entre suas publicações estão “O Y da questão” (Literalis), “Enquanto Tempo” (BesouroBox) e “Greve de Sexo” (Buqui). Sua oficina literária, a Santa Sede – crônicas de botequim, dez antologias, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Literatura 2016 na categoria Destaque Literário. Na RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Anúncios
Marcado:
Posted in: Crônicas