Você é quem sabe [Rubem Penz]

Posted on 14/04/2017

2



Rubem Penz*

– O que você acha?

– Você é quem sabe.

– Não, eu perguntei o que você acha…

– Entendi. E eu acho que você é quem sabe.

– O que eu acho eu já sei. Quero saber o que VOCÊ acha!

– Agora você também sabe o que eu acho: que VOCÊ é quem sabe.

– Custa muito dar sua opinião?

– Isso é irrelevante.

– Por quê?

– Porque custar muito ou pouco não importa: desperdício é desperdício.

– Não entendi.

– Você sempre pergunta o que eu acho e, depois, faz o que já havia decidido.

Minha opinião, irrelevante, é um desperdício de tempo, de palavras, de neurônios…

– Não seja dramático…

– Pragmático. Estou unicamente tentando ser pragmático.

– Isso é uma enorme covardia, pois sim. Toda a carga das decisões pesando apenas sobre os meus ombros. Nosso destino em minhas mãos. Enquanto isso, você aí, segundo suas próprias palavras, irrelevante.

– E depois sou eu quem faz drama…

– Pensa na nossa vida! Quem escolheu a cor das cortinas? E o modelo da TV? Quem foi se informar sobre o bairro ideal, quem pensa no cardápio, quem entrevista as diaristas? E o tapete? E os quadros da parede? E para nossas férias, quem fez o roteiro? Tudo eu! Tudo eu!

– Ok, entendi, perdão.

– Eu não quero perdoar você, amor: quero alguém com atitude ao meu lado!

– Este.

– O quê?

– Prefiro este, ó. Isso é o que eu acho, já que você insiste: por mim, escolhemos este. Hum? Que tal?

– Não… Não vai ficar bom. Moça! (Olha só: ela até se afastou, constrangida.) Vamos levar aquele outro, tá? Viu, coração? Não acha melhor assim, as coisas decididas a dois?

– Você é quem sabe.

__________
* Rubem Penz, nascido em Porto Alegre, é escritor e músico. Cronista desde 2003, atualmente está nas páginas do jornal Metro. Entre suas publicações estão “O Y da questão” (Literalis), “Enquanto Tempo” (BesouroBox) e “Greve de Sexo” (Buqui). Sua oficina literária, a Santa Sede – crônicas de botequim, dez antologias, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Literatura 2016 na categoria Destaque Literário. Na RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Anúncios
Marcado:
Posted in: Crônicas