Ela [Mariana Ianelli]

Posted on 28/01/2017

2



Mariana Ianelli*

Finalmente, uma trégua. Sabemos que ela anda por aí, que não para, entre pancadas de chuva de verão, sob a neve, todos os dias chegam notícias dela. Mas, neste momento, para uma pequena família que a conhece de longa data, ela deu uma trégua. Vamos à praia, arriscamos um mergulho quando o sol escapa por uma brecha entre as nuvens, saímos na noite para um passeio até o morro de onde vemos o cordão de luz dos navios piscando ao longe. Enveredamos por caminhos de terra, damos corpo ao sonho das viagens, a alma quer de novo as estradas de Minas, o leque dos canais de Amsterdã, a barba-de-velho dos bosques da Patagônia, a alma dispara a sonhar, vai até a Ilha de Páscoa, à pirâmide da lua, aos templos de Bangkok, depois a alma volta, improvisa uma cama no quintal debaixo das buganvílias e antecipa a primavera como num festival hindu. Em nada disso ela se infiltra ou em cada coisa permanece tão discreta que entre nós e ela são mil alegrias de distância. Uma hora ela virá, uma hora ela sempre vem, abrupta e absurda nos alcança na madrugada de uma quarta-feira ou numa tarde de domingo no rasgo de um blecaute súbito. Ela, que é mestre em surpreender, em sobrepor-se a todos os assuntos, quando vem, perfura nossas paisagens de sonho, abre um túnel. Mas, neste momento em que nos presenteia com uma trégua, em que nos concede o obséquio de parecer distante, ela faz mover os nossos planos no embalo de um breve esquecimento bom. Está aí um presente digno de nota, mesmo que, para falar dele, falemos dela. Falemos baixo, em todo caso. Ocultemos seu nome. Não seremos nós a despertá-la do escuro.

__________

Mariana Ianelli é escritora, mestre em Literatura e Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, autora dos livros de poesia Trajetória de antes (1999), Duas chagas (2001), Passagens (2003), Fazer silêncio (2005 – finalista dos prêmios Jabuti e Bravo! Prime de Cultura 2006), Almádena (2007 – finalista do prêmio Jabuti 2008), Treva alvorada(2010) e O amor e depois (2012 – finalista do prêmio Jabuti 2013), todos pela editora Iluminuras. Como ensaísta, é autora de Alberto Pucheu por Mariana Ianelli,  da coleção Ciranda da Poesia (ed. UERJ, 2013). Estreou na prosa com o livro de crônicas Breves anotações sobre um tigre  (ed. ardotempo, 2013). Na RUBEM, escreve quinzenalmente aos sábados.

Anúncios
Posted in: Crônicas