Carta ao futuro [Daniel Cariello]

Posted on 27/05/2016

1



Daniel Cariello*

Ei, você aí em 2034, como estão as coisas?

Aqui tá tudo mais ou menos. Na verdade, nesse momento, está mais pra menos. Tem dias que está mais, mas esses dias são cada vez menos, se é que você me entende.

Se não entender, não tem problema, porque por aqui ninguém também está compreendendo nada. A confusão é grande. Você deve ter lido nos livros (ainda existe isso, livros?) sobre o que aconteceu com o antigo Brasil, em 2016. É verdade, o país se chamava Brasil, antes de assumir definitivamente o epíteto de Pindorama, o que aconteceu no final do ano. Sei que ainda estamos em maio, mas um vidente, a fonte mais confiável de informação nos dias de hoje, me garantiu que seremos rebatizados antes de dezembro.

Joaquim de Arangola, o futurólogo em questão, assegura que o nome da nossa pátria começou a mudar quando Michelzinho escolheu a marca do reinado de Michel I e, segundo um grampo do Sérgio Machado, decidiu também pela volta do lema “Ordem e Progresso”, que havia aprendido a escrever sozinho, na escola. O infante ainda sugeriu adotar a música dos Teletubbies como novo hino nacional, mas foi convencido do contrário pelo soberano e por sua esposa bela, recatada e do lar, em troca de mais sorvete pra sobremesa.

O visionário também afirmou que Michelzinho daria um golpe no pai, ao completar 16 anos, tomaria o poder e decretaria a invasão terrestre de Cuba. Alertado pelo chanceler Joseph See Ha da impossibilidade do fato, teria ordenado então a venda do Acre, só pra se vingar, No entanto, seria informado que o Acre era tudo o que havia restado do antigo país.

Porém, isso tudo é coisa pequena, não é mesmo? O importante é que o carnaval e futebol ainda existem na sua época, aposto! As cabrochas na avenida, os brochas no poder, o Vasco na 2a divisão, aquela vidinha besta de sempre, com tudo terminando em cheeseburguer (pensa que não sei que a pizza foi abolida pelo nosso chanceler?). Se tiver ketchup, aí fica do jeito que o devil gosta.

Bom, já vou me despedindo. Antes, quero aproveitar essa nossa missiva intertemporal para fazer uma perguntinha boba: o Jucá e o Cunha já foram presos por corrupção? Hein? Fala mais alto, pra eu poder ouvir daqui, são 18 anos de distância! Já? Não? Ah… Só pra saber, mesmo.

No mais, aproveite aí de Pindorama. A gente se encontra pessoalmente no futuro (pra mim, pra você será presente). Podemos marcar na posse do presidente Alexandre Frota, o que lhe parece?

__________

Daniel Cariello já foi office-boy, guitarrista e tecladista em banda de rock, publicitário, jornalista e escritor, além de cronista para veículos como Le Monde Diplomatique online, Meia Um e Veja Brasília. Lançou dois livros de crônicas pelo selo Longe, do qual é um dos criadores. Colabora com a RUBEM às 5ª feiras e excepcionalmente nesta quinta-feira. 

Anúncios
Posted in: Crônicas