Os livros e filmes de Cláudia Laitano

Posted on 13/10/2015

1



Entre os muitos gêneros e subgêneros que ajudam a formar o que entendemos por crônica (e que, de quebra, complicam um bocado qualquer tentativa de classificação teórica) está o da resenha. É quando o cronista resolve aproveitar o espaço que lhe dão para falar do livro que leu, do filme ou espetáculo que assistiu, da música que ouviu. Não faz isso com a pretensão de um crítico especializado, mas se aproveita justamente do caráter mais ou menos descompromissado da crônica para dar os seus pitacos. E, sendo a vida a matéria de que o cronista mais se ocupa, é normalmente em associação a ela que, de forma reflexiva e pontual, esse tipo de resenha é produzido.

Cláudia Laitano, cronista gaúcha, produziu tantas crônicas nesse estilo que um dia teve a ideia de dar a elas o destaque de um dos seus livros. E publicou então, pela L&PM, o livro “Meus livros, meus filmes e tudo mais” (2012), composto em dois terços por crônicas em que a autora faz reflexões sobre os produtos culturais que consumiu. São textos em que a arte está longe de ser vista como mero entretenimento, pois é a partir dela que Cláudia parte para o social e o existencial. E, ainda que o livro ou o filme de que se ocupa sejam antigos, permitem uma avaliação acurada da vida contemporânea.

Afinal, Cláudia está atenta às tendências e mudanças do mundo, às novas formas de se relacionar, e aquilo que lê ou assiste também oferece condições para que ela melhor interprete o que acontece ao seu redor. São suas dúvidas e inquietações, mas também algumas consoladoras conclusões, que a cronista consegue extrair do que consome, e esses resultados ela oferece, em diálogo, ao leitor de suas crônicas. O livro e o filme, e de vez em quando a música, estão ali para favorecer a reflexão sobre nossos tempos.

Além, é claro, de constituírem dicas para quem quer ler ou assistir coisas novas. Este é um objetivo assumido de cada crônica, uma vez que ao final sempre são listados três livros ou filmes de alguma maneira associados ao assunto do texto. Nada mais natural que, em um gênero tão próximo da conversa como a crônica, se recomende também os livros e os filmes de que mais gostamos. Ao compartilhar do seu repertório cultural, a cronista contribui para aumentar o do leitor – eu comprei um livro graças a ela.

Também nos textos que compõem a parte do “tudo mais” nota-se uma cronista que se dispõe a pensar sobre os tempos em que vive – e, para isso, promove por vezes voltas ao seu passado, a título de comparação. E tudo isso é feito de forma leve, clara, com todas aquelas características boas que a gente costuma apontar na linguagem de uma crônica. É, enfim, um livro que também merecia ser resenhado em uma crônica.

Henrique Fendrich 

meuslivros

Meus livros, meus filmes e tudo mais – Cláudia Laitano

L&PM, 2012, 184 p., R$ 22

Anúncios
Posted in: Uncategorized