Dos males o menor [Cyro de Mattos]

Posted on 22/09/2015

0



Cyro de Mattos*

No telefone.

– Roubaram minha carteira com cheques, dinheiro, documentos de identidade, cartão de crédito, título de eleitor e CPF.

– Lamento – disse o outro.

– Uma lástima, não esperava por isso. .

– Onde foi que aconteceu o roubo?

– Acho que foi no bar. Estava tomando chope junto do balcão. Um sujeito mal encarado estava sentado perto de mim. Depois que ele foi embora, fui pagar a conta. Dei com a falta da carteira.

– Dos males o menor.

– Fica um trauma, vou me refazer do susto com o tempo.

– Muito pior é perder um braço num desastre ou  até a vida  numa bala perdida.

– Nem pensar nisso.

– Claro.

– Não posso me queixar da vida. Tenho muito. Nessa idade, mais de 70,  já  escrevi  minha biografia. Não preciso acrescentar mais nada.

– Cada um está aqui nesta vida é  pra contar sua história. Feliz o que conta mais vitória do que perda.

– Tenho uma mulher que me ama. Filhos vencedores. Netos que fazem felizes os avós. Vivo de meu emprego há mais de quarenta anos. Gerente de vendas da maior editora desse país. Estou pagando a última prestação da casa própria neste mês. Tem até piscina. Tudo isso para mim é o máximo.

– Lembre que vai ter de provar isso nos momentos necessários – observou o outro. – Pode ser até hoje mesmo.

–  Se for hoje,  não há como.

– Bote pra fora suas credenciais.

Com a voz nervosa, revelou:

–  Hoje é o dia marcado para fazer um empréstimo no banco.

– Esqueceu que tem de mostrar os papéis dos seus bens como garantia. Vão pedir o CPF e a cédula de identidade. Sem isso não consegue fazer qualquer  negócio.

Procurou a carteira no bolso, no gesto costumeiro. Havia sido roubada com os documentos de identidade. Havia esquecido?  Despediu-se do amigo.

Foi andando apressado  para a Secretaria de Segurança. Ia tirar outra carteira de identidade com o CPF. Lembrou que dos males o menor, pior é perder a vida, essa perda não se evita. De repente começou a sorrir  de contente. A vida é boa,  muita gente é que não se importa com ela, deixando-a por aí à toa.

__________

*Cyro de Mattos é contista, poeta, cronista e autor de livros para crianças. Conquistou o Prêmio Internacional de Literatura Maestrale Marengo d’Oro, em Gênova, Itália, com o livro “Cancioneiro do Cacau”, o Afonso Arinos da Academia Brasileira de Letras, com “Os Brabos”, contos, e o APCA com “O Menino Camelô”. Finalista do Jabuti três vezes. Tem livros publicados em Portugal, Itália, França e  Alemanha. Distinguido com a Ordem do Mérito da Bahia. Pertence ao Pen Clube do Brasil . Na RUBEM, Cyro de Mattos escreve quinzenalmente às terças-feiras. 

Anúncios
Posted in: Uncategorized