Dança das cadeiras II, segue o baile [Rubem Penz]

Posted on 18/09/2015

6



Rubem Penz*

Quando o jovem editor chefe reuniu sua equipe para propor a dinâmica da “dança das cadeiras”, ferramenta de gestão por ele mesmo criada com base numa proposta lúdica de alterar a rotina empobrecedora das redações estanques, o fez calcado em sua própria história. Disse que, desde o primeiro semestre na universidade, fez questão de estagiar nos mais diversos setores do jornal. Começou pela limpeza: uma vassoura na mão, uma ideia na cabeça e os ouvidos atentos para capturar o espírito da imprensa. “Quem sabe minha próxima dinâmica seja a dança das vassouras”, falou para descontrair. Ninguém achou muita graça…

Porém, mesmo com alguma resistência, boa parte da redação aderiu à proposta com razoável empenho. Até porque a primeira edição com posições trocadas rendeu muitas cartas para o jornal. A maioria protestando, é certo… Melhor isso do que o marasmo de uma caixa de mensagens vazia. Uma das jornalistas mais animadas foi Suzana Mirna, do horóscopo, a quem coube falar de agronegócio:

O céu da terra

As exportações de commodities agrícolas podem ser favorecidas, em breve, pelo reingresso de Saturno no signo de Sagitário. Sabidamente é um período que favorece o trânsito ao exterior com bons auspícios, resultado da excelente comunicação entre os povos. Porém, pelo movimento retrógrado, estará em Escorpião por ainda uns três meses, período em que convém certa prudência. Além do mais, como Mercúrio segue em quadratura com Plutão, as negociações podem se tornar severas (Plutão) e a comunicação ruidosa (Mercúrio). Mantra:

Esperança é o destino; prudência, o foco.

Como Júpiter e Netuno ficam opostos por todo o mês de setembro, um dos meses mais determinantes na preparação das safras de verão, alargam-se muito as possibilidades da vida, inclusive na esfera climática. Vejam o caso da geada no Sul, já nos estertores do inverno: tão logo os campos ficaram floridos pelo calor extemporâneo em agosto, veio o frio sublinhar de branco este contraste. Sensíveis, as áreas onde a semeadura do milho já alcançava seu primeiro terço sentem os efeitos da amplitude térmica. Mantra:

O zelo deve ser predominante. Audácia? Fica para segundo plano.

Por fim, vejam vocês, Marte estará em quadratura com Saturno: paciência, prudência, calma. Cadência! Período em que anúncios governamentais poderão gerar oscilações na moeda, na bolsa e no ânimo; em que notícias contraditórias tenderão a confundir os mercados; em que a discórdia será uma espécie de neblina para as decisões negociais. Mire o verdejar primaveril dos pastos e o movimento cíclico da ruminância do gado, retirando desta sabedoria a necessária elevação. Olhe para o céu, sim, mas deixe os pés firmes na terra. Mantra final:

A Terra é mãe – saberá cuidar dos frutos, se maduros.

__________

*Rubem Penz, porto-alegrense de 1964, é publicitário, escritor e músico. Produz crônicas semanais desde 2003, inicialmente publicadas apenas na internet e, depois, em veículos do Brasil e exterior. Seu livro de estreia, O Y da questão e outras crônicas, foi finalista dos prêmios Açorianos de Literatura e Livro do Ano pela Associação Gaúcha de Escritores (AGES). Atualmente é cronista do jornal Metro Porto Alegre. Desde 2008 ministra oficinas de crônicas em sua cidade natal, com destaque para a oficina Santa Sede – crônicas de botequim, que já alcança a quarta antologia. Em RUBEM escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

Anúncios
Marcado:
Posted in: Uncategorized