Uma Brasília desconhecida (e sem transporte coletivo)

Posted on 05/03/2013

0



“A solidão vai acabar com ela” é um coletânea de crônicas de Rogério Menezes sobre Brasília, publicadas no Correio Braziliense. São textos curtos e bem escritos que se propõem a mostrar um lado desconhecido da cidade – suas “urbanidades”, “misérias”, “solidões” e “transcendências”. Boa parte desses textos estão mais parecidos com os contos, cheios de personagens instigantes, a maior parte fictícios – embora todos possíveis, e provavelmente não apenas em Brasília. Não é a mesma coisa que José Carlos Fernandes faz com Curitiba, usando a crônica como mini-reportagem para revelar histórias e personagens verdadeiros – e imagino que alcançando resultados melhores.

A verdade é que fica a impressão de que falta alguma coisa – e mesmo ao final da leitura eu não soube precisar exatamente o quê. Notei apenas a absoluta ausência de referências a personagens e histórias nascidos dentro do transporte coletivo em Brasília – lugares em que eles habitam aos montes, e o tempo inteiro. Da mesma forma, praticamente não aparece a Rodoviária do Plano Piloto – aos curitibanos: é uma espécie de Terminal Guadalupe ainda mais assustador.

As cidades-satélites mencionadas poderiam ser quaisquer outras, considerando que as histórias, em grande parte, são fictícias. O livro, naturalmente, demonstra um intenso amor do autor por Brasília, e a Brasília que está além dos cartões-postais, o que sem dúvida é um mérito. Mas eu ainda acho que ficou faltando algum tempero, talvez no estilo, talvez na abordagem. Uma ousadia, uma insinuação, uma sutileza. Algo que não fizesse o livro ser tão comum, ainda que busque o diferente.

Henrique Fendrich
Posted in: Uncategorized