Veríssimo e Martha Medeiros, os cronistas best-sellers

Posted on 09/08/2013

0


verissimo

(foto: Neco Varella) 

Na Zero Hora da última segunda-feira (05/08), Marcelo Gonzatto fez uma reportagem sobre os livros com maior tiragem no Brasil. O texto lembra que, mais do que best-sellers, o mercado editorial brasileiro busca atualmente os “mega-sellers”, livros capazes de romper a barreira de 1 milhão de exemplares vendidos.

E Gonzatto faz então uma lista dos livros com maior tiragem, começando com aqueles que saem já com 50 mil exemplares impressos. Embora pareça pouco, diante da expectativa de 1 milhão, essa quantidade é quase 10 vezes maior do que a média nacional. E dela faz parte a cronista gaúcha Martha Medeiros, que recentemente lançou a coletânea “A Graça da Coisa” (L&PM), e que tem tudo para repetir o sucesso de vendas dos seus livros anteriores.

Martha Medeiros só não é a cronista que mais vende livros no Brasil porque, na casa dos 100 mil exemplares à venda, está o também gaúcho Luís Fernando Veríssimo (que em breve terá um novo livro lançado pela Objetiva). Essa é a mesma tiragem dos livros novos de Paulo Coelho.

Daí pra cima aparecem grandes best-sellers internacionais, como Nicholas Sparks (150 mil), George R. R. Martin (150 mil), Khaled Hosseini (200 mil) e Jeff Kinney (200 mil), além dos brasileiros Laurentino Gomes (200 mil), Cristiane e Ricardo Cardoso (230 mil), esses últimos no segmento religioso, o mesmo que faz com que o Padre Marcelo saia com 500 mil exemplares. Por fim, a lista da Zero Hora conta com os livros dos 50 Tons, que saem do prelo já com 600 mil exemplares impressos.

A crônica como gênero best-seller

Pelos números apresentados, é possível observar que em termos de gêneros literários nacionais (excetuando-se, portanto, os livros religiosos e os históricos), a crônica é, ao lado de Paulo Coelho, quem possui a maior tiragem inicial no mercado brasileiro.

As vendagens de Veríssimo e Martha Medeiros são bastante expressivas e mostram a capacidade de alcance e a popularidade da crônica entre os leitores brasileiros, apesar da pouca importância atribuída ao gênero nas premiações literárias e nos ambientes acadêmicos mais tradicionais.

Não se encontra um único romance, livro de contos ou de poemas entre aqueles com maior tiragem. Com a presença de Veríssimo na lista, não é possível sequer dizer que os best sellers serão sempre e inevitavelmente  livros de inferior qualidade.

Ambos os cronistas são casos excepcionais, mas cujos resultados sugerem inclusive uma maior atenção do mercado editorial brasileiro para  o gênero. Potencial a crônica tem.

About these ads
Posted in: Uncategorized